Carol Castro fala com exclusividade sobre os seus papéis marcantes, família e conquistas pessoais

Carolina Osório de Castro, conhecida internacionalmente como Carol Castro, é mãe da Nina de apenas quatro aninhos, atriz de cinema, teatro e televisão, nasceu em 10 de março de 1984, no Rio de Janeiro.


Teve incentivo a arte dos espetáculos desde que estava na barriga da sua mãe, filha do diretor e ator de teatro Lucca de Castro com a terapeuta Cecília Castello Branco, começou a carreira, incentivada pelo pai aos nove anos de idade, no projeto "Terror na Praia". Em 2000 fez e produziu a peça "Terror em Copacabana", uma releitura da peça "Terror na Praia" e chamou a atenção do produtor da Globo, Luiz Antônio Rocha, que a apresentou a Ricardo Waddington.


O primeiro papel na televisão foi Gracinha, de "Mulheres Apaixonadas" (2003), ao lado de grandes estrelas da TV Globo. Em 2004, foi Angélica, filha postiça de Maria do Carmo (Susana Vieira). Em "O Profeta" interpretou Ruth e em "Morde e Assopra" atuou como Natália.


Além dos trabalhos que agregam o currículo da estrela nas novelas da TV Globo, a atriz possui mais de 16 filmes lançados no cinema, Carol também se dedicou na competição "Dança dos Famosos", quadro exibido pelo programa "Domingão do Faustão", onde venceu o quadro do apresentador Fausto Silva.


No mês de setembro convidamos a atriz para estrelar a capa da VAM Magazine com um live exclusiva que aconteceu ontem no Instagram da revista (assista aqui). No bate papo Carol fala sobre o seu novo personagem no filme "Eike - tudo ou nada", onde interpreta Luma de Oliveira. A entrevista e o resultado você pode conferir a seguir:

Fotos @viniciusmochizuki / Entrevista: @antonnio.italiano / Stylist: @julianoezuel / Beleza: @walterlobato_ / Assistente de stylist: @janapaes / Assistente de fotografia: Rodrigo Rodrigues

Carol Castro, você é filha do Luca de Castro, diretor de teatro, improvisador e professor. Como foi o incentivo a sua carreira dentro da sua casa? Conte uma lembrança da sua infância?

Eu vivi o mundo dos bastidores da vida de um ator, diretor desde cedo. Coxias e ensaios de teatro, sets de filmagens…sempre achei tudo muito mágico e instigante. Lembro muito de perambular pelos corredores dos teatros, ver os atores se maquiando, ensaiando…os 3 sinais antes de começar uma peça.. Era um sonho!


Com seus pais divorciados quando você tinha 5 anos, conte para a VAM Magazine qual foi a maior dificuldade em ter os pais divorciados?

Não ver mais seus pais juntos no mesmo ambiente. As brigas (que antecedem a separação e as que continuam depois…).

A ausência da harmonia da família reunida.

Por isso procuro dar uma infância muito amorosa pra Nina, mesmo ela sendo também filha de pais separados, procuro ter uma relação boa com o pai dela. De muito diálogo, programa juntos e amizade.

Balé, jazz, ginástica olímpica, toda a miscelânea artística está em você. Quando você iniciou a sua carreira profissionalmente? O que diria para quem pensa em trabalhar com a arte de atuar.

Olha, posso dizer que foi aos 9 anos. Porque já comecei a atuar entre adultos, em peça de adultos com horário de adultos. (risos)

Eu diria para não desistir diante das dificuldades e “nãos”, e para não deixar de estudar jamais.

Terminar colégio, faculdade…ler muito sobre teatro, peças e se informar sempre. Cuidar de si mesmo é também muito importante. Porque somos nossos próprios instrumentos de trabalho, inclusive a observação dos outros e da vida (e claro , de si mesmo) é um grande exercício eterno do ator.

Mulheres Apaixonadas” foi o seu primeiro trabalho na televisão, na rede Globo você viveu um triângulo amoroso com a personagem gracinha. Comente como foi esse momento para você conte um pouquinho dessa conquista?

Então, já fazia teatro alguns anos, já tinha recebido muitos nãos, já tinha mandado material para produtor de elenco da Globo, fazia muitos testes para comercial.

Tinha acabado de filmar um comercial grande que estava passando na tv aberta (Globo) e tinha voltado a atuar com o mesmo grupo de teatro que comecei aos 9 anos. Estavam fazendo uma remontagem e aconteceu do produtor de elenco Luiz Antônio Rocha ir assistir e me ver em cena. Ele estava a procura da "Gracinha".

Quando me perguntou se eu era a menina da campanha que estava passando na televisão, ele logo disse que o comercial já valia como um teste de imagem.

Foi um grande desafio já começar em uma novela das 9 do Maneco, e sendo antagonista da Carolina Dieckmann no seu momento de namoradinha do Brasil.

Eu era muito nova e inexperiente. Não sabia nada de televisão!

Fui aprendendo ao longo dos anos e amadurecendo também como atriz e pessoa. Só que aos olhos do público.


Estreando no cinema em 2003 com o filme “O Caminho” das nuvens “ , logo participou do filme da Angélica “Um sonho de verão”, na Argentina também protagonizou o filme “Perigosa obsessão”. Nesses importantes trabalhos com a sua filmografia com mais de 16 filmes , recentemente estreou “Veneza” com direção de Miguel Falabella. Conte uma situação de bastidores?

Foi meu 1º trabalho pós parto. Recebi o convite com apenas 5 meses depois da Nina nascer.

Comecei a filmar o longa no Uruguai, ela tinha apenas 6 pra 7 meses, estava no auge da Amamentação, introdução alimentar dela, viajei com panela elétrica na mala…cozinhava no quarto (com a ajuda da super baba que foi comigo e ficava com a Nina enquanto eu ia para o set), levava bomba de tirar leite para o set de filmagem. Andava com isopor gigante com gelo para manter o leite tirado pra levar até a Nina.

Aconteceu de quebrar a bomba numa locação que ficava a 1h de Montevideo. Não tinha comércio perto. Foi beeeeeem complicado esse momento.. (risos)

Há um tempo você engravidou, como foi descobrir e a emoção desse momento? E como é ser mãe de uma menina nos dias atuais? O que aprende sendo mãe?

Gerar uma vida é muito mágico e forte. Ainda tive um parto humanizado, natural e muito respeitoso. Foi lindo demas! Um verdadeiro encontro com a nossa ancestralidade e o poder do feminino.

Colocar uma mulher no mundo nos dias de hoje é um ato de coragem de certa forma. Ao mesmo tempo que estamos vivendo muitas conquistas femininas, ainda é um mundo machista, perigoso e cheio de instabilidade. O medo é iminente. Mas ele não pode ser mais forte. Procuro educá-la na base do amor, de uma forma neurocompatível e ao mesmo tempo deixando-a forte e guerreira para encarar os desafios que virão pela frente.


Com novo filme chegando nos cinemas e queremos saber tudo! Conta para a VAM Magazine o que podemos saber sobre essa nova personagem?

Faço uma participação especial como Luma de Oliveira no filme “Eike - tudo ou nada”.

Tudo será retratado de forma lúdica e quase teatral. Assista a nossa live na VAM Magazine e saiba tudo sobre esse novo filme nacional


Carol na moda. Qual o seu sonho fashion e qual a peça mais cara que já comprou eu estou?

Não tenho sonho fashion… gosto de estar por dentro da moda, mas não sigo obrigatoriamente.

Você já sofreu assédio? Como incentiva os seus fãs e seguidores aprenderem sobre direitos das mulheres?

Eu acho que toda mulher em algum momento da sua vida já passou por uma situação de assédio. Muitas inclusive sem perceber, já que durante muito tempo não tínhamos conhecimento para isso. Hoje nós temos e isso é muito potente. Saber como se defender, apoiar e receber apoio de outras mulheres, ter o discernimento e a consciência de que isso é grave e que não ficará impune é o que nos encoraja. Hoje em dia com mais informação, vejo que algumas situações que vivi na minha adolescência eram assédio sim. Não é porque nunca passei por uma situação grave de assédio que essa luta não é minha. A sororidade é a nossa força!


Com muitos anos de carreira e trabalho, onde você quer chegar viu qual é o seu sonho?

O céu é o limite! (risos)

Gostaria de avançar fronteiras e estar sempre me desafiando como artista. Normalmente, quando me questiono se darei conta do desafio proposto é quanto vejo que estou no caminho certo. Acomodar jamais. Zona de conforto nunca.


Como lida com comentários na internet?  

Procuro filtrar boa parte, mas claro que me abalo quando leio algo que está errado, é mentira ou quando vejo injustiças.

Usar as redes sociais de maneira saudável e de forma positiva.

BATE-BOLA

1. Lugar aconchegante? Dentro do abraço da minha filha.

2. Sua saudade tem nome? Qual? Noronha.

3. O que faz você se sentir feliz e viva? Brincar com a minha filha, trabalhar e viajar!

4. Um sabor que ama sentir? Pipoca.

5. Dica de cuidado com a saúde? Água e dormir bem.

6. Qual música define você? You got the love - Florence and the machine.

Mensagem livre para quem acompanha a sua história: