Corpo que habito - Qual parâmetro ou régua mede a beleza de um corpo?

Qual é o corpo real?

Qual parâmetro ou régua mede a beleza de um corpo?

Uma foto é capaz de impactar na vida das pessoas?

Uma foto é capaz de dizer tudo aquilo que está entalado na nossa garganta?

Colunista Cintia Félix


Pois bem, foi a partir de um story, que tomou proporções únicas, que comecei a refletir sobre nosso corpo, sobre este corpo que habito, e resolvi trazer a discussão de lá para a minha coluna de estreia na VAM Magazine. Fique à vontade. Vamos refletir juntos?


Tudo começou com uma foto num provador de roupa, que acompanhava a seguinte legenda: “Um dos corpos mais lindos que tive: depois de gestar Maria; Depois de gestar AZ Marias; Depois de gestar Cintia”. Uma foto que mudou a percepção de muitas mulheres sobre corpos reais: em menos de uma hora, recebi comentários de cerca de 15 mulheres – mães, em sua maioria - agradecendo pela minha coragem ao mostrar um corpo com barriga saliente, pernas com estrias, ou seja, um corpo comum. Ali houve um estalo na minha cabeça: o quanto nós, mulheres, somos pressionadas em três esferas: pela sociedade como um todo, pela família/companheiro e por nós mesmas.


“Você vai voltar ao seu corpo de antes quando?”, “Tem que emagrecer, né? Tá muito gordinha”, vozes externas. Por fim, “como fulana (influencer) tem esse corpo? Por que o meu não fica assim?”, a voz interna. Ocorre que o corpo perfeito NÃO EXISTE!

Os corpos que vemos no Instagram têm:

- Ângulos que “favorecem”;

- Dietas restritivas;

- Tratamentos estéticos (caros, em sua maioria);

- Academia e personal trainer.


“Sou profissional de Educação Física e recebo diversas mulheres com o emocional acabado na busca pelo tal ‘corpo padrão’(...)”. Esse relato veio de um personal trainer que me agradeceu pela postagem e disse mostrar para as suas alunas - mulheres de mais de 35 anos com uma ou duas gestações - minha foto e o texto que escrevi.


Não estou dizendo que, caso você deseje, não deva recorrer ao que há de melhor na estética e saúde, até porque eu mesma vou à academia.


O que estou dizendo é: seu corpo não precisa parecer com o da influencer, da modelo, da pessoa X. Seu corpo é lindo porque ele te abriga, porque ele é seu templo, o precioso corpo em que você habita.


Faça o seguinte exercício: ao acordar, olhe-se no espelho, olhe para todas as partes, até para as que te incomodam por algum motivo, e repita: eu sou linda.

Eu sou LINDA!

Eu sou uma mulher GG = Grande Gostosa.

E, sim, tenho estrias, celulites, barriga proeminente, E TÁ TUDO BEM!


Fico por aqui, na promessa de voltar na próxima edição da VAM Magazine.


Gostou do que escrevi?

Me manda um direct no Instagram @cintiafaustinofelix