top of page

Março Lilás alerta para a prevenção do HPV

O mês de março é conhecido por trazer a conscientização e prevenção do câncer de colo de útero. Este é o terceiro tipo de câncer mais frequente nas mulheres do Brasil, e a iniciativa vem do Ministério da Saúde.

Yara Caldato (@yaracaldato), médica ginecologista regenerativa, funcional e estética, assessorada pela Allure Concept (@conceptallure), teve destaque no portal Correio Paraense em texto escrito por Vanessa Lago, comentando sobre o tema. Confira: Segundo dados do Ministério da Saúde, mais da metade dos jovens brasileiros, entre 16 e 25 anos, são portadores do vírus HPV (Papilomavírus), 54,6%, sendo que 38,4% apresentam os tipos de vírus de alto risco para o desenvolvimento do câncer de colo de útero. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), somente em 2018, mais de 16 mil novos casos desse tipo de câncer foram registrados, sendo considerado o terceiro mais frequente entre a população feminina no País (atrás do câncer de mama e de colorretal) e a quarta causa de morte de mulheres. A campanha Março Lilás vem justamente conscientizar o público feminino sobre como se prevenir e combater o câncer uterino, orientando-as a ter uma atenção especial à saúde. O HPV é uma IST (infecção sexualmente transmissível), onde o contato pele a pele e com via sexual, é capaz de infectar a pele e as mucosas que revestem certas partes do corpo humano, como o interior da boca, da garganta, da faringe, do ânus, da vulva, do pênis e da vagina. “Isso faz com que o paciente desenvolva verrugas e lesões precursoras de câncer nas regiões atacadas. Existem mais de 100 tipos deste vírus, sendo alguns considerados de alto risco, ou seja, capazes de ocasionar câncer, como os subtipos 16 e 18”, explica a ginecologista do Grupo Hapvida NotreDame Intermédica, Yara Caldato. Yara ressalta que o HPV pode ser identificado através do exame preventivo (Papanicolau) e pelo exame clínico, observando lesões verrucosas no homem ou na mulher. “É muito importante que todas as mulheres, após iniciar sua vida sexual, mantenham seus exames preventivos em dia, pois o câncer de colo de útero é uma doença de desenvolvimento lento, que pode não apresentar sintomas na fase inicial. Essa periodicidade é capaz de detectar alterações, que se tratadas, são curadas em quase todos os casos, não evoluindo para o câncer”. A especialista enfatiza que, na grande maioria das vezes, o câncer de colo de útero pode ser evitado. “Tanto homens, quanto mulheres devem usar preservativos durante as relações sexuais. Hoje em dia já temos a vacina contra o HPV, disponível para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, e que pode prevenir 70% dos casos de cânceres uterinos e 90% das verrugas genitais”.

bottom of page