O potente Arara, Coffee ++

Por Leo Montesanto


O que é sabor para você? Respire, inspire e pense sem ansiedade. Não precisa ser afoito na resposta. Temos tempo. Inclusive, espero que o seu café esteja aí ao seu lado, perfumando a sua mente e te levando ao equilíbrio. Até porque, essa xícara aí nas suas mãos é o convite inicial à experiência.


Conseguiu estabelecer uma linha tênue da individualização de sabor? Agora, dimensione todo esse pensamento e as necessidades sensoriais. Então, seja bem-vindo à explosão provocada pelo grão com alma brasileira!


Esse é o café Arara, que surge com equilíbrio, delicadeza e doçura natural logo no primeiro gole. É desse jeito que o café Arara mostra potência de sabor e notas sensoriais muito bem marcantes.

O café vem de frutos descobertos nas terras do Brasil e tem no DNA a resistência, que se alinha muito bem com as características do forte povo brasileiro. Tudo isso harmonizado com o amarelo da fruta e o verde das lavouras, cores de um dos maiores símbolos da fauna do nosso país: a ARARA.


O surgimento do café Arara

Para alguns pesquisadores, os grãos foram descobertos em 1988, depois que uma hibridação (origem) natural entre as variedades Obatã e Catuaí Amarelo. Então, no Instituto Agronômico de Campinas (IAC) os pesquisadores passaram a realizar alguns experimentos a partir de sementes de Obatã vermelho.


Dessa forma, os pesquisadores perceberam na pesquisa o destaque de duas plantas amarelas. Elas já se mostravam mais resistentes, com grãos grandes, nitidamente bem fortes e com resistência à ferrugem.


Foi dessa forma que os estudiosos optaram por espalhar sementes em uma fazenda que fica na cidade de Ibaiti (Paraná). Em seguida, mais precisamente no ano 2000, duas plantas da variedade foram levadas à Fazenda Experimental de Varginha e ao Centro de Pesquisas Cafeeiras (Cepec), a fim de se iniciarem os testes de cultivo.


Os resultados surpreenderam; e, em diversos locais, a planta cresceu com muita força. Na lavoura, os frutos são amarelos, com alta produtividade e baixa concentração de moca (que são aqueles grãos com deformidade genética). Além disso, é muito resistente à ferrugem e tem um resultado na xícara que impressiona pelo equilíbrio.

Esse café é 100% brasileiro e tem como uma das principais características a doçura e o equilíbrio da bebida. E como queremos que você vivencie grandes experiências sensoriais, trouxemos para o mês mais florido do ano este café, com notas de chocolate, caramelo, além de lembranças de frutas amarelas - como se você tivesse comendo um abacaxi maduro, sabe?


Este mês, decidimos trazer direto da Fazenda esse café que foi colhido à mão e secado em um processo chamado Honey - em que a polpa dos grãos logo após a colheita e parte da mucilagem (o caldinho) é deixada para secar junto às sementes.


Ficou curioso? Passa lá no site e experimente esse cafézão.