A arte de ser vários | Diego Campagnolli


Jornalista Deise Dantas

Fotógrafo Anderson Macedo





Nesta edição apresentamos Diego Campagnolli – ou melhor – Di Campagnolli tem o poder de apresentar-se sozinho. Dono de uma personalidade singular, este paulistano da zona sul é um homem multifacetado. Ele é ator, cantor, dançarino, Youtuber, empresário e tudo o que estiver ao seu alcance e o desejo em fazer. Em um mundo tão apático e por que não com uma grande falta de amor, propomos como tema de nossa entrevista: Amizade Masculina. E Di topou o desafio! Com um bom humor contagiante, conversamos após uma sessão de fotos no estúdio do fotógrafo Anderson Macedo, no bairro do Bom Retiro, em São Paulo.


Impossível não perceber que a arte o rodeia. A cada valendo! Surgia um novo Di, uma nova personalidade impressa em cada fotografia. A sessão termina e começamos nosso bate papo. Confesso! Não imaginava o quão rica seria essa nossa conversa.


Como é a visão masculina sobre a amizade?


Olha a gente acabou de falar sobre amizade feminina, conversas feitas no banheiro. Homem também conversa no banheiro. Tá lá fazendo o xixi [rsrsrs] e conversam. Ninguém fica mudo. E a gente escuta muita coisa que do estão falando, independentemente de ser homossexual ou heterossexual. Pode ser casa noturna, em um lugar sertanejo as pessoas sempre estarão conversando.


O assunto é diverso, pode ser sobre quem tá pegando, o que tá bebendo. Claro que no homem, não tem essa questão de retocar a maquiagem [rsrsrs], mas sim rola muita conversa.



Tem confissão de amigos no banheiro?


Claro que existe! É possível ouvir: A eu tô locão [rsrsrs] . E com certeza o banheiro masculino também é um confessionário. Na parte da amizade, não que a mulher não seja. Mas eu acho o homem um pouco mais transparente. Essa transparência é pelo fato de ser sincero, um exemplo: Essa roupa tá bonita? Se o homem não gostar ele vai falar não.


Talvez ele não saiba te explicar por que ele não gostou, mas ele diz simplesmente: Não gostei! Não vamos generalizar, nem todas as mulheres tomam está postura. Mas eu vejo os homens mais transparentes, por isso ele pode ter relações mais saudáveis com relação as suas amizades.


Eu gosto e cultivo muito as minhas amizades. Tanto as da época da escola, porém dá para contar nos dedos as que permaneceram. Daí crescemos e vamos conhecendo novas pessoas. Eu gosto de preservar independente do tempo as minhas amizades. E isso é sobre tudo, livre de gênero, crença, raça. Eu preservo a amizade com o coração da pessoa.



Existe alguma fórmula para surgir uma amizade masculina?


Eu vou dar um exemplo meu. Eu utilizo muito aplicativo de carro particular e eu percebo que os motoristas puxam assuntos com a gente. Essa semana eu estava no carro e o motorista me perguntou sobre o meu perfume.


Ele sentiu o aroma e me perguntou sobre. Eu achei muito bacana o comentário que era sobre um perfume e a percepção dele. E desse comentário começamos a falar sobre o tema. Então a sociedade masculina tem mudado.


Existe uns quadrados e antiquados que ainda falam sobre futebol. Mas os jovens que são descolados e antenados têm falado de um pouco de tudo. As pessoas estão começando a falar mas ainda é um caminho muito longo. Mas acho que a sociedade masculina está passando por quebras de paradigmas.



Mito ou verdade: Há fidelidade na amizade masculina?


Existe! Mas é através da vivência. Não a uma fórmula.



Quando se faz parte da mídia é difícil ter boas amizades?


Dificulta o encontro sim. Por que o meio da comunicação é puxado um pouco para o meio artístico, tem muita concorrência algo que não deveria ter. Infelizmente o meio não ajuda o meio.


Então o problema de encontrar amizades sinceras é de que as pessoas quererem manter o seu ego do que valorizar o ser humano. Infelizmente tem muita falsidade.



Já pediram ajuda / convite / favores na cara de pau?


[rsrsrs] Todos os dias eu recebo mensagens no Instagram ou Whatsapp. Mas veja, existe o oportunismo positivo. O que isso: é ver uma oportunidade boa para o seu crescimento e aí você correr atrás.


Mas o oportunismo negativo é usar as pessoas como alpinistas é “eu subo em você para construir o meu castelo e depois te esqueço lá em baixo”.



Os amigos de antes mudaram o comportamento depois da sua fama?


A eu tenho minhas amigas de condomínio que dançavam axé comigo desde os 10 anos [rsrsrs] E também são midiáticas, são modelos plus size, desfilaram na São Paulo Fashion Week. Crescemos juntos e as minhas amigas da escola que seguem comigo até hoje. E que não mudaram em nada e o tratamento é cada vez mais bagaceiro [rsrsrs]. Eu costume dizer que a gente conhece um amigo, quando brigamos com ele. Por que amizade não é só alegria!


Encerremos nossa entrevista e de quebra ganhamos o aprendizado de Di Campagnolli .

8
3
7
6
5

Anterior

Próximo

#DiegoCampagnolli #YuriBonotto