DAIANE RABELO: BOHEMIAN COUTURE

Redatora Membra Imortal da Academia Fluminense de Letras Andréa Ladislau



Laços de Seda: Uma Coleção de Moda Inspirada no Movimento Bohemian



Vivemos em uma era líquida e fugaz. O consumo é desenfreado e as roupas são produzidas e comercializadas em grandes escalas sendo tratadas de forma descartáveis, a estilista Daiane Rabelo busca viver uma nova forma de fazer moda. A marca homônima da designer fez sua estreia no Floripa Eco Fashion 2020, no mês de fevereiro, onde apresentou a coleção LAÇOS DE SEDA, desenvolvida em seu trabalho final de graduação com o propósito de interligar o bem-estar humano com o equilíbrio do ecossistema. No evento, além da participação na Pop Up Store, a marca desfilou as suas produções na passarela.


“UMA COLEÇÃO DE MODA INSPIRADA NO MOVIMENTO BOHEMIAN” 


Com inspiração no MOVIMENTO BOHEMIAN, a grife buscou referências não só nos aspectos visuais da estética Boêmia ou Boho-Chic, como também é conhecida, mas na liberdade de pensamento, nas suas paixões artísticas, literárias, musicais e aventureiras, assim como na forma de ver o mundo. 


As formas expressivas do movimento foram refinadas em um editorial, resultado de uma parceria com profissionais da dança que produziram e executaram uma performance evidenciando as modelagens fluidas, conferindo leveza aos babados e valorizando recortes estratégicos e transparências com delicadeza, através de expressões corporais com feitios artísticos.


A base da confecção são os tecidos de SEDA ORGÂNICA, produzidos artesanalmente pela empresa O Casulo Feliz, que utiliza os casulos de seda impróprios e defeituosos rejeitados pela indústria. A cartela de cores elaborada pela mesma, apresenta-se na coleção em tons que remetem ao cenário ao ar livre, contrastando tons naturais com vermelho, harmonizados pelo verde.


O resultado foi uma roupa exclusiva, para que se agregue mais valor sentimental e para que passe a ser mais significativa e especial, além de impactar positivamente no meio ambiente. Um dos objetivos é ajudar a moda a caminhar para um lado cada vez mais humano e menos mecânico, mais preocupado com a natureza, com o indivíduo e com o coletivo. Prestigie o “Slow Fashion Fase” de Daiane Rabelo.