Fique por dentro do que rolou na Semana FashionRevolution 2021



Com o tema Direitos, Relacionamentos e Revolução, a campanha proporcionou atividades para construção de soluções inovadoras e interconectadas na moda


A Semana Fashion Revolution aconteceu entre os dias 19 e 25 de abril, e reuniu 257 atividades realizadas de forma horizontal e colaborativa com os 186 núcleos de voluntários espalhados pelo Brasil. Anualmente, a Semana Fashion Revolution (SFR) acontece em torno do dia 24 de abril em aproximadamente 100 países para relembrar o desabamento do edifício Rana Plaza, buscando formas de garantir dignidade para os trabalhadores que fazem nossas roupas e mobilizar a sociedade por uma indústria da moda que considere as pessoas e o planeta.


Guiadas pelas mensagens chave do Fashion Revolution de 2021, Direitos, Relacionamentos e Revolução, as atividades trouxeram debates e reflexão explorando as mais diversas ramificações da campanha, com o objetivo de revolucionar como nos relacionamos, tanto na esfera individual, como na coletiva, com as pessoas e a com a natureza.


Para estimular discussões sobre o combate às desigualdades, previamente à Semana Fashion Revolution, foi realizado um treinamento sobre equidade racial para os colaboradores voluntários e equipe do Fashion Revolution. O treinamento faz parte do plano de ações para somar na construção de uma organização anti racista, desenvolvido por Viviana Santiago, especialista em Gênero, Diversidade e Promoção de Equidade Racial e consultora da Revisão Programática Interseccional de Gênero, Raça e Etnia na Unicef do Brasil.


Além das atividades programadas na agenda do movimento, também foram observadas diversas ações espontâneas de pessoas e marcas que se identificam com a causa da sustentabilidade na moda, como projeções em prédios e debates virtuais acerca dos questionamentos #QuemFezMinhasRoupas e #DoQueSãoFeitasMinhaRoupas.


Na playlist criada pelo Fashion Revolution no Youtube, é possível assistir algumas das atividades que ficaram gravadas, como o workshop Como ser um revolucionário na moda?, o bate-papo Ancestralidade e o vestir na moda brasileira com Carol Anchieta, Comunidade Quilombola Morada da Paz, Chyntia Mariah e Day Molina, e Moda e Racismo com Ana Fernanda, Carol Barreto e Renato Carneiro.


Outros destaques:



- Lançamento do primeiro livro organizado pelo Fashion Revolution Brasil, em parceria com a editora Reviver, "Revolução da moda: uma jornada de resgate e sustentabilidade na moda brasileira". O livro já pode ser adquirido através da pré-venda realizada neste link.


- Exposição Colaborativa de Cultura da Moda Brasileira teve sua estréia durante a SFR, e reuniu 30 trabalhos de artistas brasileiros e seus olhares, técnicas, saberes e histórias das mais diversas regiões do país. A visitação virtual está aberta até 19/05.


- Chamado público em parceria com o Design Ativista, que recebeu mais de 60 produções de designers voluntários que apoiam o debate promovido pela SFR.


O Fashion Revolution no Brasil também se desdobra ao longo do ano com projetos como o Fórum Fashion Revolution, plataforma de fomento à pesquisa sobre moda e sustentabilidade, que está com inscrições abertas para submissão de ensaios e ilustrações; e o Índice de Transparência da Moda Brasil, relatório que analisa em que nível as grandes marcas de moda no Brasil disponibilizam informações sobre suas políticas, práticas e impactos, e que terá a quarta edição lançada no segundo semestre deste ano.


Faça parte da revolução. Seja Curioso. Descubra. Faça algo!


Para saber mais: @fash_rev_brasil #FashionRevolution #QuemFezMinhasRoupas #DoQueSãoFeitasMinhasRoupas

Sobre o Fashion Revolution


O movimento foi criado após um conselho global de profissionais da moda se sensibilizar com o desabamento do edifício Rana Plaza em Bangladesh, que causou a morte de mais de mil trabalhadores da indústria de confecção e deixou mais de 2.500 feridos. A tragédia aconteceu no dia 24 de abril de 2013, e as vítimas trabalhavam para marcas globais, em condições análogas à escravidão.


A campanha #QuemFezMinhasRoupas surgiu para aumentar a conscientização sobre o verdadeiro custo da moda e seu impacto no mundo, em todas as fases do processo de produção e consumo. Realizado inicialmente no dia 24 de abril, o Fashion Revolution Day ganhou força e tornou-se a Semana Fashion Revolution, que conta com atividades promovidas por núcleos voluntários, em mais de 100 países.

No Brasil, o movimento atua há 7 anos e hoje está estabelecido como Instituto Fashion Revolution Brasil. Durante a Semana Fashion Revolution, e ao longo do ano, realiza ações e projetos que promovem mudanças de mentalidade e comportamento em consumidores, empresas e profissionais da moda.