Manifestações da Síndrome do Pânico que pode atingir anônimos e famosos

As redes sociais fervem com as histórias das celebridades e mostra que são pessoas que também passam por muitos desafios, assim como todo e qualquer mortal. Nos últimos dias, Wanessa Camargo está em evidência por conta de situações cotidianas/familiares e também por demonstrar fragilidades em sua saúde mental. A cantora de 39 anos veio a público expor momentos de angústia após diagnóstico de Síndrome do pânico. Mas o que vem a ser essa síndrome e de que forma ela se manifesta?

A cantora Wanessa Camargo (foto: Reprodução/Instagram)

A Síndrome do pânico é uma condição onde há crises súbitas de ansiedade, medo, desespero associados a sintomas físicos, como: dor no peito, falta de ar, tontura, formigamentos, tremores, suor excessivo. A sensação é de morte ou perda do controle. A crise pode acontecer sem motivo aparente ou após um estresse emocional, e depois, gera ansiedade antecipatória (medo de acontecer novamente). O medo de perder o controle da situação faz o indivíduo evitar lugares muito cheios ou fechados. E quando se forçam, acabam desencadeando novas crises que se tornam mais constantes, e atrapalham a realização de atividades simples do cotidiano, como: ir ao mercado, entrar no elevador, andar de ônibus.

Infelizmente, a aparece quando menos se espera! A duração da crise varia de pessoa para pessoa, podendo ter picos de 5 até 30 minutos, seguida por uma sensação de esgotamento e cansaço. A busca por um acompanhamento psicoterápico é fundamental para entender quais os gatilhos para início dos sintomas e como controlar os efeitos perturbadores da síndrome. Existe cura para a doença, embora seja difícil alcançar a cura completa do transtorno, pois a taxa de recaída da síndrome é bastante elevada e a maioria das pessoas volta a sofrer com os ataques.


Os medicamentos e a psicoterapia são os mais recomendados, já que atuam sobre os desequilíbrios bioquímicos que geram os efeitos físicos associados à doença, além de trabalharem os medos, as fobias, a ansiedade e provocar mudanças comportamentais para que o indivíduo aprenda técnicas que possam mudar a sua atitude diante dos ataques de pânico. Wanessa Camargo relatou em diversas entrevistas, a angústia que é receber esse diagnóstico e conviver com os seus sintomas. Além disso, apesar de ser uma figura pública, ela informou que se viu perdida e angustiada, perturbada pelo elevado grau de estresse, por pensamentos irracionais, pelo medo geral ou medo do desconhecido, chamado de agorafobia, que a impediam de se relacionar com as pessoas a sua volta. Ou seja, quem sofre com a síndrome de pânico, tendenciosamente, sempre procura estar isolado.


Enfim, anônimos ou famosos estamos todos sujeitos a esse transtorno, que pode afetar homens e mulheres em diversas faixas etárias. O ideal é, ao perceber o menor sinal de desequilíbrio, buscar ajuda de um profissional de saúde mental que irá, através de ferramentas adequadas, identificar o problema e dar a tratativa correta para que esse indivíduo consiga viver de forma plena, saudável e equilibrado.


Dra. Andrea Ladislau é psicanalista e palestrante. Formada em Letras, a profissão lhe abriu portas no mercado para trabalhar como redatora e atualmente é colunista do Jornal Folha de Niterói, do site Pensar Bem Viver Bem e do site Enfermagem Novidade, além de redatora da Revista VAM Magazine, além de membro da Academia Fluminense de Letras. E tem o título de Doutora em Psicanálise Contemporânea e, hoje, é também considerada referência em saúde pelo site UOL.