Nobat potencializa seu sincretismo musical com reverência à cultura brasileira no disco MESTIÇO

"Um álbum que celebra a música brasileira de todos os tempos". É assim que o cantor e compositor mineiro Nobat descreve seu quarto disco-solo, MESTIÇO, que chega às plataformas digitais nesta quinta-feira, 21 de julho (ouça aqui). A obra potencializa o sincretismo musical do artista mesclando um registro inédito na voz de Elza Soares com samples e citações a mestres da música brasileira, como Cartola, Clara Nunes e Tom Jobim.

Créditos: Felipe Palma

"É resultado de uma pesquisa profunda sobre a cultura do Brasil, a qual acendeu um lugar que sempre pareceu ser meu, porém nunca tinha ganhado sua devida importância na minha discografia. A música brasileira, meu maior campo de referências desde a infância, sempre esteve no meu trabalho, mas aqui ocupa um lugar de centralidade inédito", conta Nobat.


Concebido entre março de 2020 e maio de 2022, MESTIÇO é um álbum de encontros, criado por muitas mãos e mentes em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. "Cada faixa tem praticamente uma banda diferente. Foram mais de 20 músicos e musicistas participando do processo, sem contar os técnicos, produtores de mixagem e a galera do selo", afirma Nobat.


Menina Erê” e "Jovem" exemplificam o caráter colaborativo do disco, pois os músicos foram um por vez ao estúdio para respeitar o então isolamento social em vigor. O repertório segue com “Me Deixa Sambar”, que conta com as vozes de Elza Soares e BNegão; “Aqueles Homens”, parceria com Mariana Cavanellas; "Fortaleza", feita com o bloco carnavalesco Então, Brilha!; e "Beira do Mar", feat de Nobat com a esposa, Lulis. Esta última canção ainda conta com uma citação à “Água de Beber”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. A faixa-título, por sua vez, faz referência à “Canto das Três Raças”, de Paulo César Pinheiro e Mauro Duarte, eternizada nas vozes de Clara Nunes e Elza Soares. Já no fim da tracklist, entre “Quarta-feira de Cinzas” e “Montanha Russa”, “Cadência das Horas” traz um sample de “Preciso me encontrar”, de Cartola.


Antes de apresentar MESTIÇO na íntegra, Nobat ilustrou o álbum com uma trilogia de clipes: “Menina Erê” (assista aqui) e “Me Deixa Sambar”(assista aqui), ambos dirigidos por Natacha Vassou e Lucas Espeto, e “Aqueles Homens” (assista aqui), assinado por Tiago Tereza.


"Foi a forma que encontrei de salvar o Brasil que amo e que está sob o ataque total de uma ala conservadora e intolerante no país. Um Brasil que reconhece na sua ancestralidade a chave para seu futuro e que celebra sua principal vocação: a diversidade", explica Nobat. "É um projeto que fala da mistura e das conexões. Estamos todos conectados, mas vemos e vivemos o mundo por abas distintas e foi justamente isso que eu quis levar para o estúdio”.