Bruno Martini: Do Brasil para o mundo

Com participações nos principais festivais do mundo, DJ Bruno Martini representa o Brasil no exterior e lança remake de Bring Me To Life, do Evanescence (Assista na VAM)

Ph: @c.oviedoph Styling: @gab_bueno Assessoria: @stampa_comunicacao Editor chefe: @antonnio.italiano

Com 29 anos de idade, Bruno Martini tem feitos capazes de impressionar muita gente. O DJ e produtor, brasileiríssimo, tem parcerias musicais com Lady Gaga, Katy Perry e Timbaland. Quer dizer, esses são apenas alguns nomes, porque ele tem colaborações com artistas lá de fora e daqui. Agora, Bruno recebeu a missão de fazer o remake da icônica Bring Me To Life, um dos grandes sucesso do Evanescence. O convite para a missão veio de David Hodges, um dos integrantes da banda estadunidense e compositor. "Fiquei muito contente com o convite, que veio de um dos componentes da banda. E sem contar que David é um dos maiores compositores do mundo. Tem uma responsabilidade em fazer essa versão", diz Bruno, que conta com a participação da atriz Vanessa Giácomo no videoclipe. Saiba mais sobre esse brasileiro, que faz bonito no mundo, nesse bate-papo com a VAM Magazine. Bruno tem mais de 1.3 bilhão de streams no Spotify, mais de 600 milhões de views no Youtube, presença no grandes festivais mundiais, como Tomorrowland, EDC Las Vegas, Creamfields UK, dentre outros.

VAM: Você vem de uma família onde a música já estava presente. Quais são as suas lembranças de ter esse interesse por música?

Meu pai é músico! Ele faz parte de uma banda, que se chama Double You, e fez muito sucesso nos anos 90. Ele toca guitarra e também produz músicas. Eu sempre fui muito exposto à música e isso acaba fazendo parte de você. A música sempre foi algo natural para mim. Com 8,9 anos eu peguei o violão do meu pai. Com 10, 11, pegava as guitarras dele. Na escola, comecei a fazer aula de música. Montei na escola uma banda de rock. Eu sempre gostei dos palcos, de todas, de estar dentro desse mercado. Para mim, foi um processo muito natural.


VAM: Quando você decidiu que seguiria profissionalmente essa profissão?

Quando eu comecei a compor, com 14 anos, conheci uma pessoa, que se chama Maira. Gravamos um CD com umas cinco músicas, que era só violão e voz. Eu tocava e Maira cantava em inglês. E eu entreguei o CD para um engenheiro de som e, por acaso, ele chegou nas mãos do empresário de nomes como Britney Spears, Justin Timberlake... Quando ele ouviu, ele pensou se não poderia levar a gente para Disney. Ele fez uma reunião com a Disney Los Angeles e eu recebi uma ligação chegando da escola... A Disney queria assinar com a gente. A partir daí, eu tive uma parceria muito legal com a Disney. Trabalhei oito anos numa banda que se chamava College 11. Fizemos shows com Demi Lovato, Jonas Brothers... Fizemos a primeira série de TV feita 100% no Brasil, que foi exportada para fora e foi um período muito legal da minha vida.


VAM: Você fez uma faculdade de engenharia. Por que escolheu essa?

Fiz faculdade de Engenharia Civil. Acho também que muita coisa que aprendi na faculdade, eu levo para a minha vida. Hoje, na música, na verdade, você é uma empresa. É um negócio o tempo inteiro. Obvio que eu sou apaixonado pela parte criativa da música, pelo lado de composição, de produção que eu faço... Mas acho que muito que aprendi na faculdade, eu coloco no lado empresarial dentro da música, nos investimentos e em várias outras coisas