Chegada dos carros híbridos já é tendência do agora, e quem afirma isso é o Felipe Giaffone

Felipe Giaffone, autoridade quando se fala em automobilismo no Brasil


Felipe Giaffone é piloto e um dos principais nomes do automobilismo brasileiro, especialista e empresário do ramo, além de incentivador da sustentabilidade no automobilismo. O piloto é adepto e defende o uso de carros híbridos, seja no dia a dia, ou mesmo em competições, e tem buscado conscientizar as pessoas por meio de seus conhecimentos sobre os benefícios dessa categoria de automóvel, que emitem menos CO2 e outros gases causadores do efeito estufa na comparação com veículos com motor a combustão, por utilizarem uma matriz energética limpa para fazer o motor girar.


E sua motivação para tal incentivo vem de uma tendência cada vez mais forte em relação à chegada dos carros híbridos ao Brasil, que é um dos países apostas para a introdução desta nova modalidade. Segundo a ABVE (Associação Brasileira do Veículo Elétrico), o mercado de veículos eletrificados no Brasil registrou a venda de 7.290 veículos novos de janeiro a abril de 2021, um aumento de 29,4% sobre o mesmo período em 2020. De 2019 a 2020, a venda de carros híbridos e elétricos dobraram de 512 para 1.024. Foram 3.639 unidades de carros híbridos/híbridos plug-in vendidos e 234 emplacamentos de carros elétricos, números recordes em ambos os segmentos.


Porém, muitos ainda não sabem diferenciar carros convencionais, híbridos ou elétricos, por isso, Felipe Giaffone fala um pouquinho sobre a diferença entre eles, como funcionam e como carros híbridos definitivamente é uma tendência do agora


''Carros híbridos são o meio termo entre carros convencionais e carros elétricos, sendo então a melhor opção para aqueles que se preocupam com o sustentável e ainda assim não podem ou não querem adquirir carros elétricos. Eles possuem dois motores ou mais, sendo um motor com combustão convencional (gasolina, álcool, diesel etc..) e outro motor elétrico, normalmente utilizado nas velocidades mais baixas'', explica Giaffone.


Felipe conta que através da regeneração de energia, o carro híbrido carrega a bateria quando se freia o carro, ajudando não só no armazenamento de energia, mas nos desgastes dos freios, uma vez que o próprio motor elétrico ajuda a frear o carro diminuindo o consumo de pastilhas e discos de freio. ''Uma das maiores vantagens é o fato de que carros híbridos poluem menos, pois com a ajuda do motor elétrico, o carro consome bem menos combustível. Em alguns modelos híbridos você tem uma autonomia de mais de 30 km e pode usar apenas o motor elétrico, não gerando poluição e sem consumir combustível'', completa Felipe.


Além disso, uma ótima notícia é que espaço para carros híbridos e elétricos tem crescido ao longo dos anos, um exemplo dessa ascensão é a F1, que em 2014 passou por uma de suas principais mudanças na história. Os carros da competição passaram dos motores V8 2.4 L para um complexo motor híbrido com um motor a combustão V6 1.6 L e dois motores elétricos, um no turbo e outro próximo ao câmbio, consumindo, na época, 30% menos combustível.


A família de Felipe Giaffone também é incentivadora de carros híbridos e, liderados por seu irmão Zeca Giaffone, foram os consultores do primeiro carro híbrido a participar do Rally dos Sertões pela Giaffone Racing, sendo a primeira vez de um carro deste tipo na competição.


''O Brasil ainda não possui um plano estratégico para a transição de energia para esse tipo de carro, porém, o lançamento de cada vez mais modelos híbridos e elétricos continuará favorecendo o crescimento das vendas no segmento. E vemos cada vez mais pessoas adaptando suas casas e empresas para comportar esse tipo de veículo'', finaliza Giaffone.