top of page

Capa: PK, um dos maiores rappers da atualidade

Atualizado: 23 de fev. de 2022

Natural do Rio de Janeiro, Pedro Henrique Bendia, mais conhecido como PK, respira música desde pequenininho. Suas influências musicais tomaram grande proporção na quarta-série, época em que começou a ouvir Racionais por indicação de um amigo. Já o funk surgiu e ganhou forças na vida de PK por ser o estilo musical predominante do lugar em que morava. Apesar da pouca idade, PK coleciona experiências no ramo musical e sua descoberta se deu por conta de uma participação – em 2013 – na Batalha do Real, a maior batalha de rimas do Rio de Janeiro, e o resultado não poderia ser outro: campeão.

PK, compositor de grande parte de suas canções, vive um momento de ascensão. Hoje é um dos maiores nomes da música urbana do país. São mais de 3 milhões de ouvintes mensais e mais de 500 milhões de reproduções no Spotify. E somando stream de áudio e vídeo ultrapassa a marca de 1 Bilhão. Seu estilo musical particular faz com que se destaque no cenário atual, numa agradável mistura de rap, funk e pop, além de incorporar elementos e sons de diversos outros ritmos.

Com parcerias de sucesso, PK começou nas batalhas de rima e hoje soma ao seu repertório parcerias com grandes nomes da música nacionais e internacionais, como a gaúcha Luísa Sonza, Bello, Ludmilla, Kevin O Chris, DJ Pedro Henrique e DJ Tubarão, Pocah, Becky, Gabily, Felipe Araújo, Xamã, Orochi e Buddy Poke, dentre outros. O rapper carioca PK permanece entre os dez nomes mais ouvidos do Spotify, na categoria Rap Nacional, há mais de um ano. Com mais de 3 milhões de ouvintes mensais na plataforma, PK reafirma sua potência na música nacional. Rankeando a lista das músicas mais ouvidas de PK aparecem singles em feats de respeito como: “Quando a vontade bater”, “Barcelona” feat L7NNON e Mun-Ra, “Indomável” feat Belo e “Tudo de Bom” feat Luisa Sonza, que juntos somam mais de 130 milhões de views no YouTube e mais de 293 milhões de plays no Spotify.


O último lançamento de autoria de PK foi “Mundo dá Voltas” em parceria com MC Pedrinho e DJ 900, que já soma mais de 1,5 milhões de views no YouTube. No mais, PK é apaixonado por games e futebol – e pelo Flamengo -.


Dono de uma voz incrível e talento sem igual, ele busca, por meio do seu som, levar entretenimento aos seus fãs e mostrar que com perseverança tudo é possível sim, mesmo com os obstáculos do dia a dia. “Não importa o estilo, eu respiro música 24h por dia. Vou jogar futebol com os amigos e continuo fazendo rimas durante as partidas. Durmo pensando em música e acordo pensando nela”, complementou.


Acesse a entrevista completa com o editor VAM Magazine, Antonnio Italiano.

VAM: Se você não fosse rapper o que seria?

Jogador de Futebol.


VAM: Como começou a sua carreira e quem foi a pessoa que mais incentivou você? Hoje qual a sua maior conquista?

Ninguém me incentivou, fui sozinho atrás do meu sonho. Hoje minha maior conquista é, com certeza, o carinho do meu público, o amor que eles me passam, e o conforto que posso proporcionar para minha família.


VAM: PK você foi morador da Ilha do Governador, bairro carioca com forte identificação com o samba. Como o funk te atraiu?

Sempre ouvi funk, o funk está presente na vida da maioria dos cariocas, principalmente de quem é de uma classe social e financeira mais baixa.


VAM: Pouca gente sabe, mas você chegou a cursar Psicologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), porém trancou para seguir carreira na música. Como foi isso? O que o PK de hoje falaria para o PK de 5 anos atrás?

Na verdade, eu só entrei na faculdade porque esse era o sonho dos meus pais, mas durante as aulas eu estava nas rodas culturais e batalhas de rima do Rio de Janeiro, se eu pudesse dar um conselho pro PK de 5 anos atrás, que foi onde comecei a fazer shows, 5 anos atrás, seria pra ele não assinar contrato com gravadora.

VAM: Você já gravou músicas com Luísa Sonza e tantos outros artistas. Tem algum artista nacional ou internacional que ainda queira fazer alguma parceria? Conte um momento fora das lentes com a Luísa?

Eu sou uma pessoa muito realizada com meus feats, tive ótimas oportunidades e sou muito feliz por isso, Luisa é uma garota incrível e de muito talento, foi muito divertido gravar com ela. Feats nacionais, tenho muitos engatilhados com pessoas que admiro muito. E feat internacional, gostaria de fazer algo com Travis Scott ou RedHotChiliPeppers.


VAM: Até o momento dessa entrevista no seu canal do Youtube havia 145,207,703 visualizações. Como lida com a fama, dinheiro e redes sociais?

Graças a Deus, aos meus fãs, e algumas pessoas que ajudam isso tudo a acontecer, temos mais de 1 Bilhão e Meio de streamings em áudio e vídeo, a fama e as redes sociais ao mesmo tempo que são boas e te ajudam, também são bem crueis procuro me envolver com ela da maneira mais tranquila possível, o dinheiro é uma das boas consequências de toda dedicação e sacrifícios que o trabalho exige, mas também sou bem tranquilo em relação a isso.


VAM: Comente como é o seu processo criativo? Quem inspira a sua carreira e onde você quer chegar?

Me inspiro em tudo que vejo, em tudo que sinto, gosto de compor em estúdio, me inspiro em momentos, e o freestyle também ajuda muito na construção das minhas músicas. Sou sempre grato a tudo que conquistei, e onde pudermos chegar a partir de onde estamos, já vai continuar sendo bençãos de Deus…


VAM: Na moda, seu sonho fashion é? E o que mais gosta de usar?

Já tive a felicidade de ser vestido por grandes grifes, quem sabe algum dia um ensaio irado pra alguma, haha… Gosto de usar chinelos, de todos os tipos, gosto de collabs de streetwear com grifes, gosto de casacos também.

VAM: Pode dar algum spoiler dos seus projetos musicais ainda para esse ano? O que podemos esperar em 2022?

Finalizamos um dos nossos últimos trabalhos desse ano, que é o Feat PK e Dilsinho, algo do jeito que gosto de fazer, misturando propriedades musicais de vários gêneros, que será lançado em 2022, e o ano promete, muitos projetos lindos, incluindo meu EP de Trap.


VAM: O momento político do Brasil precisa de voz. Fale o que incomoda você na situação atual?

O Brasil hoje tem um governo de desserviço, totalmente autoritário, que governa só para seus eleitores. Infelizmente, temos no poder um governo totalmente preconceituoso, que incita ódio, com total aversão ao diferente e que mostrou um imenso descaso frente a uma pandemia mundial que matou mais de meio milhão de brasileiros, em uma sequência de irresponsabilidades por parte dos governantes.

Bate-bola

Qual(is) o(s) nome(s) da sua saudade? Minha infância.

Como cuida da sua saúde? Salada e whisk.

Crush famos@? Tenho namorada.

Uma mensagem para quem leu essa entrevista? Seja seu próprio alicerce e Obrigado pelo carinho.

Créditos fotos: WC no Click -



Comments


bottom of page